Agora que já acabou o ano, podemos falar do melhor que passou neste 2009. Vamos falar de rock and roll.
Quais foram os melhores shows do ano no Brasil? Até porque fora dele não faz sentido falar.
Costumo dividir a classificação em: nacional e internacional.
Pode parecer paradoxal, mas eu costumo assistir muito mais concertos internacionais do que nacionais. Talvez porque eu não goste muito das bandas nacionais atuais…

Internacional
Enfim, na categoria internacional não vou falar nada: Radiohead na cabeça. Acho que mesmo quem não é muito fã, quando vê o show passa a ser. A seriedade, a precisão e a emoção que eles aplicam no show é demais. E é legal ver uma banda no seu auge (será? tomara que não) tocando por aqui. Tocaram as 10 músicas do último álbum ‘In Rainbows’, e isso dá um certo frescor e satisfação ao ver um show. Não dá nem pra citar uma música, ou um momento do show. O que talvez valha um destaque é que tocaram Creep nos dois shows do Brasil, fato incomum. E ficou bom! A guitarra pesada do refrão era uma coisa ensurdecedora e bela.

Nacional

no estúdio

Radiohead - melhor show internacional de 2009

Sobre o melhor show nacional: não consigo me lembrar de muitas bandas que eu vi este ano. Sinal que nenhum realmente fez a minha cabeça… mas para mim, já há alguns anos, o melhor show de rock nacional, sem sombra de dúvidas é o do Ratos de Porão.
O dito cujo foi no clube Outs, no dia 19/12/09, já no fechamento do balanço do ano.
Os shows do Ratos são sempre certeza de diversão: a banda afiadíssima; esta formação já está junta há uns bons anos, o João Gordo tirando onda e falando merda entre uma música e outra, a galera animada – entenda por rodas de pogo maiores que o palco e aquela massa se socando -, e uma penca de “clássicos”: desde Crucificados pelo Sistema até algumas menos clássicas, do último disco Homem Inimigo do Homem, passando por Descanse em Paz, Brasil, Carniceria Tropical, Anarkophobia – aliás, tocando várias deste disco, e curiosamente tocando “Igreja Universal”, do novo chefe do João. Bagaceira brutal!

RDP no OUTS!

Ratos de Porão - melhor show nacional de 2009

Diferente do Radiohead, o RDP não toca o disco novo inteiro. Pode-se entender então que é uma banda que não tem o mesmo frescor, e navega nas ondas dos sucessos do passado, certo? Bom, não tem nada errado nisso, veja o exemplo das bandas que tocaram por aqui este ano – A-ha, Twisted Sister, AC/DC, e outros. Bom, o Ratos vai um pouco nesta onda sim, mas o que para mim é diferencial é uma coisa muito importante: a forma como eles tocam. De uns tempos para cá, eles estão mais sujos e agressivos (hehehehe), e isso vem fazendo a diferença. É impressionante quando você ouve uma banda em estúdio, e depois ao vivo ela soa mais pesada! Geralmente é ao contrário, e poucas bandas conseguem fazer isso. E o Ratos consegue – talvez o Inocentes e o Sepultura também consigam. Crucificados pelo Sistema é uma música muito mais brutal hoje do que quando foi concebida. E isso talvez dê um frescor diferente nos shows do Ratos.
Se você tiver oportunidade, vá a um show do Ratos! Não sei quanto tempo os caras ainda vão ficar na ativa, afinal já são tiozinhos. Quem sabe a gente não se encontra lá?

Anúncios
Casillero del Diablo

Casillero del Diablo

Quando você está em frente a prateleira de vinhos na sua loja favorita, e se depara com um rótulo de um grande produtor, que entrega produtos desde a linha ultra básica, até outros um pouco mais complexos, você se sente mais ou menos confiante para experimentar novos fermentados?

Pois é, eu confesso que tenho um certo preconceito sobre os nomes “incontestáveis” dos gigantes grupos produtores, especialmente do Chile e Argentina. Porém, aos poucos eu venho tentando quebrar essas barreiras e me aventurar nos mares ditos seguros desses rótulos, claro que também tentando separar o ordinário do diferenciado, e aumentando a lista dos vinhos que podem acompanhar as boas refeições do dia-a-dia.

Outro dia tive a oportunidade de adquirir algumas garrafas do Casillero del Diablo, da vinícola Concha Y Toro, em diversos varietais, e eles estavam já há algum tempo descansando injustamente em minha adega, quando resolvi que era hora de experimentar a versão da uva Gewürztraminer, muito famosa por seus ótimos vinhos brancos na região da Alsácia, na França, e também Alemanha e Áustria.

O vinho estava surpreendentemente fresco apesar do grau alcoólico característico dos fermentados do Novo Mundo, e muito aromático. Meu jantar na ocasião era um leve risoto de limão siciliano com abobrinhas grelhadas (para um post futuro), e o vinho ficou perfeito acompanhando bem todas as delicadas especiarias da receita e valorizando a acidez aromática dos limões sicilianos.

Eu diria que é um vinho espetacular para o clima do Brasil, apesar da aparente resistência de muita gente com os vinhos brancos e rosés em nosso país. Eu me rendi a este rótulo tão conhecido por aqui, e dizem que é uma das marcas mais conhecidas do mercado do vinho pelo mundo, vendido em dezenas de países e com uma produção enorme. Acho que posso agora sem preconceito experimentar os outros varietais dessa linha para ver se o capricho com a produção se extende as outras uvas.

Vinho: Casillero del Diablo Gewürztraminer
Produtor: Concha Y Toro
Região: Valle del Maule
País: Chile
Safra: 2008

A TripAdvisor, site americano referencia em assuntos de viagem, seja de negocios ou turismo, esta pedindo ajuda aos internautas para identificar o perfil do pior companheiro de assento.

Seat-Mate

Apesar do apelo comico, eu levo a serio o tema.
Minha estrategia, que sempre funciona, e’ colocar meus fones (noise reduction) antes mesmo da decolagem, desligando somente nos ultimos 20 minutos, no procesimento de pouso….

A dica de hoje surgiu na Califórnia, berço de negócios inovadores no setor da alimentação saudável.
A Pinkberry tem um produto que não chega a ser uma inovação e é um velho conhecido no Brasil.

O Frozen Yogurt volta a ganhar espaço e promete sucesso também pela forma como é oferecido.
O processo, pensado para evitar demora e clientes pentelhos customizando de forma irritante seus pedidos, tem poucos e simples passos:

Pinkberry

1 – Escolha Tamanho e Sabor
(os sabores podem ser: Original, Cha-Verde, Pomegranate, Maracujá, Chocolate, Coco ou Café)
2 – Acompanhamento
Fresh Fruits: Raspberry, Banana, Manga, Kiwi, Blackberry, Blueberry, Abacaxi e Morango
Dry: Lascas de Amêndoas torradas, Cookies & Cream, Chocolate Chips, Fruit Cereals, Crunch Cereals, Raspas de Coco, Granola, Passas, Raspas de Chocolate ao Leite, Mochi (derivado do arroz), Pingos de Chocolate Meio Amargo, Mixed Nuts, Crunch de Canela ou Browne de Chocolate (livre de Glúten)
Líquido: Pomegranate juice, Italian Caramel ou Mel Puro.

Nesse verão que promete uma onda de calor intensa, nada melhor que uma proposta refrescante e saudável.

Pinkberry

Se eles não chegarem por aqui, vale roubar a idéia e mandar bala na sobremesa de hoje. E olha que se a coisa pega por aqui, a lista de frutas seria dezenas de vezes superior.
A única coisa que pega é achar um bom Frozen nos mercados, mas todo o resto é fácil e garanto que as combinações são inúmeras

O site tem um visual clean e uma trilha sonora com a cara do produto.
Coisa bem feita.

Revisando o post:
Incluo aqui algumas referencias tupiniquins
Yogoberry
Yoggi

Risoto da VovóOutro dia estava voltando para casa depois de uma cansativa seção de fisioterapia quando resolvi que era dia de cozinhar algo para o jantar, e, claro, abrir uma boa garrafa de vinho para acompanhar.

Queria algo rápido, pois já era tarde e não queria muito tempo na cozinha em uma terça a noite. Passando em frente a um mercadinho que não costumo frequentar imaginei que ali mesmo pudesse resolver a situação. Decidi preparar um Penne Gorgonzola (para um post futuro), porém no tal mercadinho não tinha um queijo gorgonzola confiável, ou melhor, não tinha nenhum gorgonzola.

Então lembrei de uma receita rápida de pesto (claro que vou postar também) que não podia falhar, já que manjericão tem em qualquer lugar. Eu não contava com as chuvas torrenciais da semana que fizeram todas as folhas e temperos frescos sumirem dos mercados.

Depois disso decidi deixar os ingredientes me levarem ao prato do dia, o que costuma sempre dar mais certo que nossas idéias momentâneas de cardápio. Então nas pouquíssimas opções dos breves corredores do mercadinho, o que estava vistoso eram as bananas (claro) e as castanhas do Pará (ou atualmente do Brasil). Na mesma hora me lembrei do delicioso Risoto da Vovó do Athaliba Bistrô, da minha amiga Elsie Siciliano.

O risoto é muito simples, em uma deliciosa combinação de filet mignon, bananas e castanhas. Para quem não gosta de misturar doces com salgados, é uma ótima chance de mudar os conceitos e se deliciar com essa receita reconfortante.

Nesse dia eu abri uma garrafa de um vinho espanhol para acompanhar. A combinação não foi ruim, mas a doçura da banana não combinou completamente com o vinho, apesar deste estar espetacular. Recomendo talvez um Syrah Sul Africano.

Vinho: Coloma Selección – Castillo Torre Bermeja
Produtor: Bodegas Coloma
Região: Extremadura
País: Espanha
Safra: 2007

RISOTO DA VOVÓ (Athaliba Bistrô)

Ingredientes:

– Arroz Arbóreo
– 2 Bananas (bem maduras)
– Filet Mignon picado (uns 300g)
– Castanhas do Brasil (um belo punhado)
– Caldo de Carne (1L)
– Vinho Branco (1 copo)
– 1 Cebola
– Azeite
– Manteiga
– Parmesão ralado

Modo de Preparo:

Refogue a carne em fogo alto com um fio de azeite e reserve. Doure as cebolas na mesma panela na manteiga com um pouco de azeite depois acrescente o arroz e dê uma refogada. Quando o arroz estiver quase transparente, acrescente o vinho branco gelado e deixe secar mexendo sempre. Quando estiver quase seco, acrescente o caldo aos poucos até que o arroz esteja cozido, mas firme (al dente).

Acrescente a carne reservada, a banana picada e deixe em fogo baixo para pegar um pouco o gosto. No final acrescente as castanhas também ben picadas e desligue o fogo. Acrescente um belo punhado de um bom parmesão ralado e mais uma colher de manteiga. Deixe então o risoto descansar por 5 minutos e sirva em seguida.

Dicas:

– Um bom caldo é fundamental para um bom risoto. Sempre que possível faça seu próprio caldo e guarde em porções no congelador.
– Você pode preparar a base do risoto e guardar congelada para ser finalizada com diferentes ingeredientes.
– Siga as instruções de tempo de cozimento do arroz que você comprar, e desligue o fogo com ele ainda firme, pois ele continua cozinhando depois de desligado.

A KLM anunciou na ultima semana o lançamento de uma nova classe para vôos intercontinentais, nas aeronaves azuis e brancas da linha aérea holandesa.

Segundo o anuncio a nova classe oferece espaço extra para as pernas (até 86-89 cm/34-35 pol.) e assentos mais reclináveis (15-18 cm/6-7 pol.). Além do mais, a área está localizada na parte da frente da aeronave, proporcionando vantagem no desembarque.

EconomyComfort

O preço de um assento na área Economy Comfort é de EUR 80 a EUR 150 por vôo, dependendo da duração do vôo. Os usuários freqüentes (Flying Blue) Platinum podem reservar um assento na Economy Comfort gratuitamente.

Os associados Flying Blue Gold recebem um desconto de 50% e os associados Flying Blue Silver pagam 25% a menos.

Esta tem sida a tendência de algumas Cias Aéreas para vôos longos. Basta saber se todas irão praticar uma política de preços razoável e acessível.

Ratatouille

Ratatouille

O ratatouille (ou “a” ratatouille em francês) é um prato típico muito popular da região de Provence, no Sul da França. Por lá cada um tem a sua receita e coloca seus toques pessoais no preparo.

Basicamente o prato é um refogado ou um assado de legumes cortados em cubos, temperado com muito azeite e ervas típicas daquela região, como o alecrim e manjericão, servido quente ou frio, que pode acompanhar assados, peixes grelhados ou até mesmo comido puro com uma bela fatia de pão quente e, claro, com um bom vinho.

Por aqui, eu já tentei preparar o ratatouille de várias formas, mas recentemente achei a versão que mais me agradou e, curiosamente, foi a mais simples de fazer.

A última vez que preparei essa receita, eu servi como acompanhamento de um pernil de cordeiro, juntamente com batatas ao murro, que ficam para um outro post. Nesse dia, como era uma data especial, tomamos um belo Chateauneuf du Pape, também do sul da França, que ficou ótimo com todos os sabores das especiarias do prato.

MEU RATATOUILLE

Ingredientes:

2 Berinjelas
2 Abobrinhas
2 Cebolas (1 roxa)
1 Pimentão Amarelo
2 Tomates
Azeitonas Pretas
Alecrim fresco
Manjericão freco
1 Limão Siciliano
Herbes de Provence (conjunto de ervas secas da região de Provence)
Azeite
Sal e Pimenta

Modo de Preparo:

Corte as berinjelas e abobrinhas em cubos e coloque em uma assadeira. Junte as cebolas cortadas em petalas e o pimentão em cubos pequenos (se preferir tire a pele). Tempere tudo com muito azeite, alecrim, manjericão, herbes de provence, sal e pimenta do reino a gosto. Acrescente algumas raspas da casca do limão siciliano e um pouco do seu suco. Junte as azeitonas cortadas em pedaços pequenos.

Coloque a assadeira coberta com alumínio no forno a 240 graus por uns 40 minutos ou até os legumes estiverem cozidos mas ainda firmes. Agora tire o alumínio e acrescente os tomates picados em cubos grandes, sem semente. Volte ao forno por mais uns 15 minutos e está pronto.

Dicas:

  • Deixe para picar as berinjelas por último, pois elas escurecem rápido
  • Se não encontrar herbes de provence, tente substituir por tomilho e sálvia frescos, além do alecrim e manjericão
  • Você pode preparar com antecedência o ratatouille e apenas aquecer um pouco antes de servir
  • O ratatouille fica ótimo com um bom vinho rosé da Provence